A poesia romântica brasileira

Durante o período em que se inicia o Romantismo no Brasil, a poesia romântica foi produzida e tendo destaque ficando conhecida como: Poesia romântica Brasileira. Nesse mesmo período tivemos também a Prosa. Importante lembrar que poesia e prosa envolvem a subjetividade do eu lírico, considerando seus aspectos no romantismo.

Romantismo no Brasil

O romantismo no Brasil teve início em 1836, com a publicação da obra Suspiros Poéticos e Saudades, de Gonçalves de Magalhães.

Romantismo no Brasil foi um importante movimento artístico do século XIX, com representantes brasileiros da prosa e da poesia, podendo ser dividido em três gerações. Os autores do Romantismo brasileiro que deixaram seus nomes marcados na história da literatura brasileira foram: Gonçalves Dias, Gonsalves de Magalhães, José de Alencar, Álvares de Azevedo, Casimiro de Abreu e Castro Alves. O movimento esteve dividido em três períodos, em que podemos ver abaixo as suas gerações:

Primeira Geração: José de Alencar e Gonçalves Dias, aparecem como destaques sendo que no contexto pós-independência do país, a primeira geração esteve marcada pelo binômio “nacionalismo-indianismo”.

Os principais autores da geração indianista e seus respectivos livros que dialogam com as bandeiras dessa fase do Romantismo são:

Gonçalves Dias

  • Primeiros Cantos (1846)
  • Segundos Cantos (1848)
  • Últimos Cantos (1851)
  • Os Timbiras (1857)
  • José de Alencar
  • O Guarani (1857)
  • Iracema (1865)
  • Ubirajara (1874)

Segunda Geração: conhecido como: “Ultrarromantismo” sendo marcada pelo Álvares de Azevedo. Isso por ser comum chamar tal geração de ultrarromântica. Álvares de Azevedo é o principal autor do grupo, que conta também com nomes como o de Casimiro de Abreu. Percebe-se referências ao estilo de Lord Byron, um escritor romântico inglês, da segunda geração romântica, e também é chamada de byroniana.

Os principais autores da segunda geração romântica e suas respectivas    obras são:

Álvares de Azevedo

  • Macário (1852)
  • Lira dos vinte anos (1853)
  • Noite na taverna (1855)
  • Casimiro de Abreu
  • As primaveras (1859)

Terceira Geração: Conhecida como temas de espaço social. Castro Alves tem sua obra considerada principal expoente dessa geração, pois, através de seus poemas, o autor aponta e denuncia a prática do escravismo no Brasil e constrói um forte discurso abolicionista.

Nessa fase da terceira geração temos também o escritor francês Victor, conhecida como geração “condoreira”, “social”, ou “hugoana”

Nessa fase as principais obras foram de Castro Alves respectivamente:

Castro Alves

  • Espumas Flutuantes (1870)
  • Os Escravos (1883)